quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

A Vez de Lula









Ex-presidente usará todas as artimanhas jurídicas para disputar a eleição. Que assim seja assim, para que o mito encontre seu capítulo final e então pague suas contas com a Justiça.

Luiz Inácio Lula da Silva é hoje um condenado pela Justiça brasileira. Tem pena a cumprir de nove anos e seis meses de cadeia por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ainda é réu em outros seis processos. Mesmo assim, acha que tem credenciais suficientes para voltar a ser presidente do Brasil, cargo que ocupava quando urdiu os crimes de que é acusado.
No próximo dia 24 de janeiro, Lula terá aquele que pode ser seu definitivo encontro de contas com a Justiça. Sua condenação, determinada pelo juiz Sergio Moro em julho último, será julgada em segunda instância pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre. Dependendo da decisão dos três juízes que a compõem, o petista ficará inelegível.
Mas não se deve alimentar ilusões: independente do que acontecer daqui a 40 dias, o nome de Lula estará na urna eletrônica em outubro de 2018. Há uma miríade de instâncias, instrumentos legais, chicanas e protelações jurídicas que permitem arrastar o caso dele até a véspera ou mesmo até a data da eleição. Lula e seu exército de advogados esgotarão todas. Até dentro da cadeia, envergará o figurino que mais preza, o do perseguido e injustiçado, e atiçará o país.
Ao ex-presidente e ao PT pouco importa o interesse maior do Brasil. Seus passos atuais e futuros visam apenas dar nó na realidade, na qual ele e seu partido promoveram o maior retrocesso imposto ao país em décadas, patrocinaram o maior assalto a cofres públicos que se tem notícia no mundo e instauraram um regime de ruína, corrupção e decadência. Esta é a história de fato. Em campanha, Lula e o PT se dedicam a criar um universo paralelo, irreal, ilusório, enganador.
O que precisa ser respondido é: a que serve uma nova - seria a sexta - candidatura presidencial de Lula? A que ele se pretende?
Pelo que tem dito nos palanques de sua campanha antecipada, ilegalidade flagrante travestida de inocente "caravana", o petista está disposto a defender o indefensável, opor-se ao crassamente necessário, afirmar o inconfessável. Lula tornou-se a pior espécie de político que pode haver: aquele disposto a justificar os crimes, erros e descalabros que cometeu colorindo-os como atos de defesa do povo. É abjeto.
O Brasil está numa encruzilhada e isso não é difícil perceber. Só tolos ou sabotadores podem negá-lo; Lula é um deles. Sua pregação não educa, não constrói, não converge a favor do país. É incapaz de qualquer autocrítica. O legado real do PT é de destruição, mas o ex-presidente age como se seu partido nada tivesse a ver com o desastre e, pior, atua para inviabilizar qualquer iniciativa de reconstruir os escombros - como no caso das reformas estruturais.
Lula precisa ajustar suas contas com a Justiça. Mas melhor será que seu nome chegue, ainda que aos trancos e barrancos, às eleições gerais de 2018. Este mito, falso, enganador, nefasto, precisa encontrar seu ponto final, para que o país possa se redimir do atraso que lhe foi impingido pelo petismo e consiga, de fato, acelerar a árdua travessia até se tornar de novo um país com perspectivas positivas, coisa que Luiz Inácio Lula da Silva e o PT dizimaram.
Este e outros textos analíticos sobre a conjuntura política e econômica estão disponíveis na página do Instituto Teotônio Vilela
 

ITV - Instituto Teotônio Vilela - SGAS 607 Edificio Metropolis Sala 30 - CEP: 70200-670 - Brasília-DF
Fone: 61 3424-0597 - Fax: 61 3424-0515 - itv@itv.org.br

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Ajude o Morhan a reativar a Carretinha da Saúde


Está no ar a primeira campanha de financiamento coletivo do Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan), com o objetivo de levar de volta às ruas o projeto da Carretinha da Saúde. 

Um grande projeto para enfrentar um grande problema

O Brasil é o país com a maior incidência de hanseníase no mundo, ou seja: é o país que apresenta o maior número de casos novos da doença em relação a sua população.  Esse indicador é absurdo, já que hanseníase é uma doença que tem cura e cujo tratamento é gratuito pelo SUS!

A Carretinha da Saúde é uma das ações do Morhan para enfrentar essa realidade. Trata-se de uma unidade de atendimento itinerante, com três consultórios médicos e equipada para a realização de consultas e diagnóstico da hanseníase, sempre em parceria com as equipes de saúde dos municípios onde ela se instala. Os locais são escolhidos de forma estratégica, considerando a incidência da doença e bairros com ausência de assistência: a Carretinha chega nos territórios que normalmente não contam com atendimento. Nos ajude a colocar a carretinha na estrada novamente, faça uma doação!

👉Todos os voluntários e voluntárias do Morhan estão convocados a fazer dessa campanha um grande passo para a luta pela eliminação da hanseníase no Brasil! 

Você pode colaborar fazendo uma doação DE QUALQUER VALOR no site da campanha e/ou divulgando para todos os seus amigos!

Se você tem dúvidas sobre como fazer para doar, mande uma mensagem pelo facebook do Morhan ou pelo ZapHansen: (21) 97912 0108, ou ainda ligue no  TeleHansen: 0800 026 2001

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

FestCine Maracanaú anuncia vencedores.






A sétima edição do  FestCine Maracanaú – Festival de Cinema Digital e Novas Mídias anunciou na noite deste sábado (9) os curtas e longas-metragens premiados. Nesta edição foram inscritos 490 produções oriundas das mais diversas regiões do Brasil, das quais 25 foram selecionadas e concorreram ao Troféu Maracanaú.
Veja a lista de vencedores:
LONGA-METRAGEM
Melhor Longa-Metragem: Badi – Edu Felistoque (SP)
Melhor Fotografia: Os Caubóis do Apocalipse – Diego da Costa (SP)
Melhor Direção: Os Caubóis do Apocalipse – Diego da Costa (SP)
Melhor Trilha Sonora: Poesia & Melodia – Flávio Colombini (SP)
Melhor Atriz: Os Caubóis do Apocalipse – Diego da Costa (SP)
Melhor Ator: Poesia & Melodia – Flávio Colombini (SP)
Melhor Roteiro: Como você me vê? – Felipe Bond (RJ)
CURTA-METRAGEMMelhor Curta-Metragem: Guiana Francesa – Edmilson Filho e Olavo Júnior (CE)
Melhor Direção: Quando Parei de me Preocupar Com Canalhas – Tiago Vieira (SP/GO)
Melhor Fotografia: Luiz – Alexandre Estevanato (SP)
Melhor Trilha Sonora: Òrun Àiyé – A Criação do Mundo – Jamile Coelho e Cintia Maria (BA)
Melhor Atriz : Thais Herculano – Agonia (CE)
Melhor Ator: Dênis Lacerda – Guiana Francesa (CE)
Melhor Roteiro: Marcio Del Picchia – Diz a Lenda (SP)

Metrô do Ceará proíbe viagem com cachorros.

        




       Enquanto o mundo inteiro caminha para a defesa dos direitos dos animais o metrô do Ceará não aceita que cachorros de pequeno porte acompanhei os donos nas viagens. Um cão de braço não pode ser levado dentro da bolsa apropriada para a viagem. 
         Nos metrôs de todo o mundo as alternativas são levadas em conta. Em Nova York os cães são transportados em sacos próprios; em Barcelona também são permitidos.
      Precisamos pressionar a direção do Metrô do Estado para rever essa determinação anacrônica e que vai contra a linha de direitos dos animais no mundo inteiro.

Juiz Federal Sérgio Moro é Brasileiro do ano 2017


O juiz federal Sérgio Moro fez um discurso direto sobre o fim do foro provilegiado, a manutenção da possibilidade de prisão em segunda instância e o fortalecimento da Polícia Federal durante evento da revista IstoÉ, em São Paulo, que teve a presença do presidente Michel Temer e outros membros do governo.  “Todas as pessoas precisam ser iguais perante a lei”, afirmou Moro, um dos agraciados da premiação Brasileiros do Ano 2017, ao defender o fim do foro. O magistrado elogiou o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que estava na cerimônia, mas cobrou: “Embora o magnífico trabalho do senhor, parece que algum investimento se faz necessário para o refortalecimento da Polícia Federal”.



No momento em que Moro foi receber o prêmio da noite, todos os outros premiados se levantaram para aplaudi-lo – exceto Temer, Meirelles, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE) e o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco.
Moro também prestou homenagem ao ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki, morto em acidente aéreo em janeiro. “Prometi para a família de Teori seguir com o seu legado.” O ministro era relator da Operação Lava Jato no Supremo.
Presidenciáveis. Na premiação também estiveram presentes presidenciáveis declarados e outros nem tanto.
No hall de entrada do teatro Tom Brasil, na zona sul de São Paulo, o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), por exemplo, disse que não pensa em ser candidato a vice de nenhum candidato à presidente do PSDB: “Minha prioridade não é ser candidato a vice do Alckmin. O Democratas está em um processo de refundação que pode terminar com a escolha de um candidato próprio.”
O prefeito de Salvador não quis relacionar o próprio nome como um possível candidato, mas se lembrou do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), como um nome forte e também sinalizou conversas de fora do círculo político. “Também estou conversando com nomes de fora da política. Acredito em nomes novos que apareçam através da política e não contra a política”, afirmou.
ACM Neto também comentou sobre as candidaturas que aparecem liderando as pesquisas de intenção de voto, a do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ). “É um equívoco os partidos apostarem que Lula não será candidato. É preciso se preparar para enfrentá-lo na rua”. Ele também considera que a candidatura de Bolsonaro deve se desidratar até às eleições.
Outro pssível presidenciável que passou pelo hall de entrada do teatro foi o senador Álvaro Dias (Podemos-PR). Dias diz não se sentir desanimado com as recentes pesquisas. “As manchetes deveriam ser: Lula e Bolsonaro estão inviabilizados pela rejeição”. Sobre o governo federal, Dias provocou: “O presidente Temer não precisa se preocupar em encontrar um candidato para defendê-lo em 2018. O quero governo vai precisar encontrar é um bom advogado”.
Um quase presidenciavel que estava na festa foi o apresentador Luciano Huck. Ele manteve o discurso dos últimos dias – de que  pretende participar da política com os movimentos cívicos (ao menos dois representantes do Agora! estavam com ele). No palco, Huck lembrou do acidente aéreo de que foi vítima e afirmou que, por conta desse acidente, tem se questionado sobre qual seria sua missão.  O apresentador afirmou que está disposto a colaborar da forma que puder. Sem se colocar como candidato,  falou que o País precisa investir na renovação política e que “não é justo o Brasil ter que escolher entre o sujo e o mal-lavado”.
O prefeito João Doria (PSDB) e o ministro Henrique Meirelles, que é filiado ao PSD e também é cotado como presidenciável,  não falaram na chegada do teatro.
Já no início do evento, a grande expectativa era saber perto de quem o juiz Sérgio Moro, o principal homenageado do evento,  se sentaria. Isso porque no mesmo evento no ano passado, o juiz foi fotografado conversando o senador Aecio Neves (PSDB-MG), alvo da Lava Jato. Dessa vez ele estava ao lado de Caco Azulgaray, representante da Editora Três, que edita a publicação, e do jogador de futebol Alan Ruschel, atleta sobrevivente do acidente aéreo com o time da Chapecoense.
Além disso, Temer foi o responsável por entregar o prêmio ao seu próprio ministro, Henrique Meirelles. O presidente fez um breve discurso no final. Não citou Moro nem os pedidos do magistrado. Limitou-se a falar rapidamente sobre a reforma da Previdência, dizendo que a igualdade é o princípio da reforma.
OS PREMIADOS
Brasileiros do Ano IstoÉ
Sérgio Moro – Brasileiro do Ano
Henrique Meirelles – Economia
ACM Neto – Política
Luciano Huck – Comunicação
Isis Valverde – Televisão
Juliana Paes – Televisão
João Carlos Martins – Ética
Milú Villela – Cultura
João Paulo Guerra Barrera – Educação
Alan Ruschel – Esporte
Empreendedores do Ano IstoÉ Dinheiro 
Ilan Goldfajn – Empreendedor do ano
Frederico Trajano – E-commerce
Flavia Bittencourt – Varejo
Guilherme Paulus – Serviços
Celso Athayde – Impacto Social
Paulo Cesar de Souza e Silva – Indústria
Fonte: Estadão

domingo, 10 de dezembro de 2017

Fotojornalismo do FestCine Maracanaú

Algumas fotos do FestCine Maracanaú:






Sesc realiza doação de 18 mil aves para ceia de Natal de famílias cearenses


O programa Mesa Brasil Sesc garante a ceia natalina de 18 mil famílias com a distribuição de 18 mil aves até o dia 21 de dezembro. Recebem o alimento famílias de baixa renda atendidas em 111 instituições sociais cadastradas nas Unidades do programa em Fortaleza, Juazeiro do Norte, Crato, Iguatu e Sobral.  As entregas já iniciaram no dia 1º, e a ação acontece por meio de uma parceria do Sesc com a BRF / Perdigão.
Este é o segundo ano em que é desenvolvida a campanha em todo o Brasil, sendo o tema atual “Natal Especial tem Mesa Cheia e Chester Perdigão!”. No Ceará, são contemplados 28 municípios: Fortaleza, Maracanaú, Caucaia, Sobral, Juazeiro do Norte, Crato, Iguatu, Catarina, Acopiara, Cariús, Barbalha, Massapê, Jucás, Catunda, Várzea Alegre, Quixelô, Missão Velha, Assaré, Forquilha, Solonópole, Milagres, Groaíras, Abaiara, Pacujá, Icó, Porteiras, Santana do Acaraú e Morrinhos.
Há 16 anos, o Sesc atua nacionalmente no combate à fome e ao desperdício, tendo como base ações educativas e distribuição de produtos excedentes ou fora dos padrões de comercialização, mas ainda próprios para consumo. Doados ao Programa por empresas parceiras, os alimentos são encaminhados a entidades sociais cadastradas. Em resumo: o Mesa Brasil busca onde sobra e entrega onde falta. Por ano, são distribuídos, em média, cerca de 42 milhões de quilos de alimentos. O convite da Perdigão ao Mesa Brasil Sesc para ser parceiro na campanha se deu em função da credibilidade e transparência do trabalho do programa. 

Sobre a doação
A campanha de Natal da Perdigão “Natal Especial tem Mesa Cheia e Chester Perdigão!” teve início no dia 1º de dezembro e prevê que, a cada Chester comprado pelo consumidor, outro seja doado para uma família, sendo a distribuição realizada pelo programa Mesa Brasil Sesc. O produto é líder no segmento e é marca exclusiva da Perdigão. Em todo o país serão 250 mil aves distribuídas pelo Mesa Brasil Sesc durante a ação, visto que cada ave serve, em média, uma família de quatro pessoas. O alimento é entregue às famílias atendidas por entidades sociais previamente selecionadas. Além do Ceará, a distribuição acontece em 12 estados, com a coordenação do programa nos Departamentos Regionais do Sesc.

SERVIÇO
18 mil famílias cearenses recebem doação Mesa Brasil Sesc
Entregas às famílias: Fortaleza (até 1 a 21/12), Sobral (6 a 15/12), Iguatu 6 a 13/12), Juazeiro do Norte (5 a 14/12) e Crato (5 a 13/12).


Informações: (85) 3318.4925 / 3318.4926 / 3318.4927


*Entidade mantida pelos empresários do comércio de bens, serviços e turismo.

Facebook: /sescceara
Twitter: @sesc_ce
Instagram: sescce



Jornalistas Responsáveis: Jardeline Santos – (85) 3195.8739 / 99652.8097 / Ingrid Freitas - (85) 3195.8738 / 99662.9165 / Camila Grangeiro – (85) 99659.6890 / Gabriela Vieira – (88) 99716.0990 / Carla Pinto – (85) 98802.6181